...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Avaliar os professores

Agora que as grelhas foram publicadas já é possível sabermos os fins deste modelo de avaliação:

1. Pôr no topo da pirâmide os professores hiperactivos, isto é, os que fazem ou aparentam fazer muitas coisas, independentemente da qualidade do ensino que praticam.

2. Recompensar moderadamente os subservientes e os medíocres.

3. Penalizar e marginalizar os intelectuais, ou mesmo, no extremo, excluí-los.

3 comentários:

Anónimo disse...

Gostaria de acrescentar que o principal objectivo do ME é estupidificar as próximas gerações e calar as actuais para que os nossos queridos governantes continuem o seu "trabalho" sem grandes incómodos.

dissidentex disse...

É uma " técnica " que vai ser incentivada para criar cidadãos e professores sem qualquer espírito critico.

Pessoas acríticas são mais fáceis de controlar precisamente porque nem sequer tem a consciência de que podem e devem fazer critica.

Isto é o oposto ao que se passou nos meados/finais do século 19.

À época era necessário levar as pessoas para as escolas e ensiná-las a ler e escrever- o mínimo- porque por exemplo isso ajudava a que as pessoas soubessem ver as horas e raciocinar - contar o tempo.

Objectivo: assim produzir-se melhores (isto é mais adaptados) trabalhadores de fábrica , que conseguissem aguentar os ritmos de trabalho programados.

Isso deu depois origem à consciência de classe e a todas as outras coisas que derivaram em politização da sociedade.

Aqui , agora temos ressalvando a distancia históricas e as modernizações tecnológicas, o oposto.
Produzir pessoas que não sejam capazes de "ver com qualidade os relógios do nosso tempo" e apenas "obedeçam.


Trata-se de retirar armas intelectuais ao cidadão comum.

Muito perigoso isto,mais ainda quando é feito com a "capa" da Esquerda.

Moriae disse...

De todo! A mim, metam-me uma corda ao pescoço se me apanharem lá!
Esta foi em primeira mão.
Abraço