...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Para que serve uma escola?

Os esquerdistas beneméritos dizem que serve para educar.
Os professores competentes dizem que serve para ensinar.
Os tecnocratas deslumbrados dizem que serve para qualificar.

Quem tem razão são os professores. Uma escola que não ensine, nem educa, nem qualifica. E como quem tem razão nunca é bem visto, entrega-se o poder aos tecnocratas. Daqui a dez anos, como já não se vão lembrar onde é que erraram, vão corrigir o erro com outro pior. Andamos nisto há décadas.

6 comentários:

Range-o-Dente disse...

Há ainda uma 4ª possibilidade, suponho que a mais fraquinha de todas: a escola que instrui. Que instrui, quero dizer, que nem isso consegue fazer.

.

José Luiz Sarmento disse...

Instruir é a função mais nobre, porque compendia todas as outras. O meu instrutor de condução educou-me, porque me inculcou valores; ensinou-me, porque me informou de factos; treinou-me, porque me desenvolveu automatismos; e qualificou-me, porque me deixou apto a andar com um automóvel na via pública.
Que bom seria se as nossas escolas públicas fizessem todas estas coisas, sem tabus ideológicos a proibir parte delas!

Range-o-Dente disse...

Bom, então estou sem vocabulário.

Chapelada,
RoD

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Neste momento, para nada, ou para passar uns diplomas. A realidade é essa: o conhecimento parece não ser necessário para aobreviver e é assim que pensam. Mais vale "comer"... :)

Range-o-Dente disse...

Ah, se o vocabulário me não atraiçoar, penso ter descoberto uma "missão" para a escola: local onde os alunos podem interactivar.

É giro (girino), tem uma pinta pós-moderna e de cariz "perplexizante".

Viva o absurdo.

.

Anónimo disse...

eu cá prefiro a opinião do George Bernard Shaw: Deve evitar-se que a escola dê cabo da nossa educação. Pessoalmente, acho que o consegui.