...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

domingo, 14 de março de 2010

As palavras são tramadas

Já repararam que falar em "aluno problemático" em vez de aluno delinquente, ou violento, ou indisciplinado, é um truque semântico que transfere o "problema" - logo, a responsabilidade; logo, a culpa - para a escola e para o professor?

4 comentários:

Anónimo disse...

Boa desconstrução . Pois tramam. Há intencionalidade na escolha das palavras. Elas não são neutras. Reflectem os tempos e as práticas sociais dos homens.
mceurodrigues

Josefib disse...

Já tive oportunidade de deixar aqui um comentário sobre este tema. Não foi publicado, por não ter sido aprovado? Teria dito algo ofensivo? EStou preocupada.

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

Cara Josefib,

Mal li o seu comentário acima, fui à minha caixa de moderação de comentários para verificar se havia algum de que não tivesse sido notificado por email, ou em que não tivesse reparado. A página diz-me que não há nenhum comentário por moderar.

Não sei o que se passa. Desde que mantenho este blogue, só uma vez rejeitei um comentário, e não foi a este post.

Só me resta pedir-lhe desculpa e pedir-lhe que me envie de novo o seu comentário, a ver se desta vez não se perde algures no ciberespaço.

Josefina Maller disse...

Caro José Sarmento:
Na verdade não sei o que se passa. O meu comentário deveria sair com o nome Josefina Maller e não apenas Josefib. O comentário que não foi publicado referia-se ao post sobre bullying, e agora não vale a pena repeti-lo. Não tem nada que pedir desculpa, pois é livre de não publicar o que não quer. Eu só queria saber se tinha sido inconveniente. É que gosto muito do seu blog.
Vamos ver se este meu comentário vai com o meu nome completo.