...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

quinta-feira, 21 de junho de 2007

O Neoliberalismo não é (necessariamente) um Liberalismo

(Com a devida vénia ao Igor d'O Reino dos Fins)
Para saber se um neoliberal é um liberal, convém perguntar-lhe:
- o que pensa da criminalização das drogas;
- o que pensa das leis que regulam os comportamentos sexuais;
- o que pensa da validação, pelo Estado, dos casamentos entre homossexuais;
- o que pensa da validação, pelo Estado, dos casamentos entre heterossexuais;
- se pensa que a blasfémia pode ser, em certas circunstâncias, um crime;
- idem em relação à obscenidade;
- idem em relação à pornografia;
- se acha que pode haver crimes sem vítima;
- se acha que em caso de conflito a propriedade privada individual deve prevalecer sobre a propriedade privada colectiva, ou vice-versa;
- se acha que o direito à propriedade prevalece sempre sobre todos os outros, ou se pode haver outros que prevaleçam sobre ele em caso de conflito;
- se acha que um colectivo pode ser mais importante do que a soma das pessoas que o constituem;
- se considera, para efeitos do que respondeu no ponto anterior, que uma empresa privada é um colectivo ou se acha que é uma pessoa;
- se acha que o Estado, por natureza, oprime as pessoas;
- se acha que o Estado, por natureza, liberta as pessoas;
- se acha que o Estado, por natureza, oprime e liberta, sendo necessário organizá-lo de modo a que liberte o mais possível oprimindo o menos possível;
- como é que dispõe, por ordem de valor, os indivíduos, as famílias, as comunidades identitárias, as nações e as empresas.

1 comentário:

Igor disse...

Muito obrigado pela vénia. :-P