...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

quarta-feira, 7 de março de 2012

Koch Brothers vs. Cato Institute

Tenho estado a seguir na blogosfera norte-americana a polémica à volta da tentativa dos irmãos Koch de assumir o controlo do Cato Institute. Adquiri alguma informação sobre a Direita Libertária americana e a sua íntima mas difícil relação com o Partido Republicano; mas o que pretendo fazer neste post é recomendar alguns dos blogues por onde passei, um dos quais, o Crooked Timber, já constava da minha lista de hiperligações. Os outros são o blogue de Corey Robin, autor de The Reactionary Mind: Conservatism from Edmund Burke to Sarah Palin, e o de Julian Sanchez, um intelectual libertário filiado no Cato Institute. Todos os três valem não só pela qualidade dos posts, como pela dos comentários. Quanto à blogosfera portuguesa, vale também a pena, para quem se interessa por estas coisas, uma visita ao Fiel Inimigo. Ah, e este artigo no Huffington Post sobre a maneira de a esquerda dar a volta ao texto duma das mentes fundadoras do libertarianismo, a arqui-reaccionária Ayn Rand.

3 comentários:

Diogo disse...

O Fiel Inimigo, que conheço bem, considero um dos mais execráveis blogs da nossa blogosfera.

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

O que o Rio D'Oiro pensa está quase sempre nos antípodas do que eu penso; mas é possível ter uma conversa inteligente com ele, e isto é uma coisa a que dou muito valor.

Miguel Madeira disse...

Acerca do texto do Hunfington Post, acaba por não ser nada de novo - no fundo, é simplesmente (agora vindo da esquerda) a critica que a direita reacionária tradicional faz ao liberalismo - que o individualismo liberal acaba por incentivar as classes baixas a se voltarem para as forças subversivas (afinal, é do seu interesse individual).

A diferença é que o Gary Weiss usa essa raciocínio para fazer uma defesa pela esquerda em vez de uma critica pela direita.