...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

domingo, 11 de dezembro de 2011

Roubos de cobre

Estava a ver na televisão a notícia sobre o roubo de dois quilómetros de cabo de cobre que deixou várias localidades sem telefone e internet. E dei comigo a pensar: se os autores deste crime forem apanhados, julgados e condenados, cumprirão a mesma pena que cumpririam se tivessem roubado qualquer outra coisa do mesmo valor.

E isto é injusto. Sabe a pouco. O que esta gente fez, além de se apropriar de um bem com um determinado valor,  foi danificar uma infraestrutura pública - acto este que devia ser tipificado como crime de especial gravidade.

Ah, mas não pode ser. Para punir estes ladrões como merecem, seria preciso punir também os competentíssimos gestores que destruíram dezenas de quilómetros de ferrovia e os que construíram SCUTs por cima da rede viária anteriormente existente. E isto está fora de causa, não é?

3 comentários:

Fliscorno disse...

Então mas as SCUT não faziam parte do keynesiano plano de aposta nas obras públicas, o qual até teve direito a manifestos de apoio?

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

Faziam parte, faziam. Mas agora que Keynes está proibido...

Nan disse...

... e as vias de comunicação, sejam elas quais forem, também não estão lá muito bem vistas;
...e temos que empobrecer, e quem é pobre não anda por auto-estradas, isso é para os senhores...