...............................................................................................................................................

The aim of life is appreciation; there is no sense in not appreciating things; and there is no sense in having more of them if you have less appreciation of them.


..........................................................................................................Gilbert Keith Chesterton
....................................................................................................................................................

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Para que serve a escola pública? Para que serve o Ministério da Educação?

Do ponto de vista da oligarquia, e escola pública serve para produzir mão-de-obra dócil, barata e eficiente na maior medida em que as três características possam ser conciliadas; e o Ministério da Educação serve para produzir resultados estatísticos que possam ser apresentados na UE e na OCDE.
Do ponto de vista dos cidadãos e da sociedade, a escola pública serve para ensinar; e o Ministério da Educação não serve para nada.

7 comentários:

setora disse...

O apanhado não parece mau mas já não sei se a sociedade pensa que a escola pública serve para ensinar.
Se a sociedade vai permitindo (e até apoiando) os ataques que vêm sendo feitos à escola pública...

dissidentex disse...

JLS: eu discordo da ideia de que o ministério da educação não serve para nada.

Penso que "este" ministério da educação da forma como esta "(des)organizado" não serve para nada.

Penso que deve existir ME e que este deve mandar sobre as escolas. Nõ creio é que deva ser esta "coisa" cheia de idiotas e de burocratas que passa por ser a imagem do ministério da Educação.

Quanto à escola pública servir para ensinar estou em parte com o comentário anterior: começo a ter dúvidas que as pessoas achem que a escola serve para alguma coisa, uma vez que as gerações mais velhas desvalorizam a escola e os pais mais novos apenas pensam na escola como uma forma de arranjarem uma qualquer vantagem que lhes permita fazer passar os filhos de ano fazendo batota.

Não se vê ninguém( da parte dos pais)a insurgir-se e a achar estranho que exames de tudo e mais alguma coisa sejam, por exemplo, este ano considerados fáceis pelos alunos.


A pessoas demitem-se, porque nunca estiveram interessadas. E porque existe uma barragem de propaganda a forçá-las a demitir-se.

Nesse especifico aspecto estou altamente pessimista em relação ao actual estado das coisas.


Até porque penso que a lógica de traição dos actuais e futuros governos será a de desqualificar aos máximo os alunos portugueses, numa versão recauchutada do que Salazar fazia.

Range-o-Dente disse...

Calcular o perímetro de uma circunferência é hoje engenharia de foguetões.

... e porque carga de água há que a calcular - dirá o "Ministério"?

.

José Luiz Sarmento disse...

E tem razão, o Ministério. Nem o nosso Governo, nem os nossos empresários estão propriamente a planear criar uma indústria aero-espacial no nosso país. E se amanhã decidirem criá-la, é sempre possível ir buscar cientistas e engenheiros competentes e baratos à Índia, onde as teorias educativas não são nem românticas, nem construtivistas, nem "modernas"...

Range-o-Dente disse...

... "modernas". Pois.

RoD

Anónimo disse...

Agradeço divulgação.

Concurso de Professor Titular, Ilegal!

“Sobre a ilegalidade do concurso de/para titulares
A partir do blogue QUEIXAS DE PROFESSORES passamos a divulgar a questão, também levantada por um comentador anónimo no blogue ProfAvaliação a 8 de Julho de 2008 14:37 onde se refere a ilegalidade do concurso de/para titulares, já realizado, como “em dupla e clara violação da Constituição da República Portuguesa”.

[Queixa 2 - Segunda-feira, 7 de Julho de 2008]
(…

Os professores foram penalizados, para reposicionamento da carreira “concurso professor titular”, por faltas devidamente justificadas por doença própria ou de familiares, que não tiveram naturalmente penalização na carreira docente, e com efeitos retroactivos a sete anos.
A Constituição da República Portuguesa ou Lei Essencial, que rege a vida em sociedade da comunidade designada de povo português, segundo a actual equipa ministerial, não é para cumprir.”
O post é longo e elucidativo pelo que deverá ser lido na fonte. As imagens apresentadas foram copiadas do blogue QUEIXAS DE PROFESSORES no post referido.

Ver http://www.sinistraministra.blogspot.com/

Anónimo disse...

Colegas

Está na altura de agir e passarmos à prática; não basta o inconformismo generalizado que graça por todas essas escolas do país face à política educativa de liquidar a escola pública e o ensino por excelência. É tempo de passar à acção e de contestar o ataque feito à carreira profissional por parte deste governo, que nos pretende reduzir a meros técnicos de ensino de crianças futuras analfabetas num mundo global.
Deixamos de lamentações e partimos para a acção; só e apenas nós podemos mudar o rumo dos acontecimentos. Por isso, a todos e de norte a sul do país, colaborem nesta luta sem tréguas pela defesa de uma escola pública e democrática e por um outro tipo de ensino mais exigente, qualificativo e gratificante para todos – as nossas crianças e jovens assim o desejam.
Não cruzes os braços em desânimo; participa nas acções e colabora na luta contra o sistema que nos querem impor: quotas para isto e aquilo, horários de trabalho para lá das 35 horas semanais, afunilamento e estagnação na carreira, burocracia sobre burocracia, desleixo grosseiro do ensino – aprendizagem, redução das reformas, tudo e mais alguma coisa.
A APEDE pode ser o trampolim da nossa luta; dia 15 de Novembro, na rua, pode ser a data de todas as datas para mostrar a nossa revolta perante a degradação das nossas condições de trabalho e do ensino em Portugal impostas por este governo. Por isso, é urgente que tu, na tua escola, colabores; pequenas colaborações juntam-se a outras pequenas colaborações e todos juntos faremos frente à ofensiva de quem apenas interessa vencer a resistência aos que se opõem à destruição do ensino público em Portugal.
Organiza e dinamiza o teu núcleo de constatação na escola; participa e manifesta o teu descontentamento. Não deixes de barafustar e indignar-te pela afronta aos teus direitos laborais. Participa nas acções.
Conto contigo, colega professor; que cada escola do país, sem excepção, esteja para já representada com alguém na reunião da APEDE, a realizar no próximo dia 11 de Outubro, Sábado, pelas 10h30, no Sport Club do Bairro, sito no bairro Sra. da Luz – Caldas da Rainha. A presença de alguém da tua escola é importantíssima para a nossa união e luta nacional. Participa, não faltes.
COPIA ESTE E-MAIL E ENCAMINHA ESTA MENSAGEM A TODOS OS TEUS COLEGAS. É UM OBRIGADO DE TODOS OS PROFESSORES PARA TI MESMO.